22 julho 2015

Bolo de arroz cru e os 5 anos do Caldeirão

Bolo de arroz cru


Já se passou meia década desde aquele 16 de julho de 2010, quando iniciei a aventura de expandir minha troca de receitas pelo mundo virtual. É bastante tempo para quem como eu não tinha um repertório culinarístico muito extenso, e que agora já somei quase 700 receitas postadas. 

Bem, o motivo de ter criado o blog não difere de muitos dos meus colegas foodbloggers, o de catalogar as receitas feitas muitas vezes a olho, sem medida. O começo é despretensioso, não se sabe onde vai dar, quem vai ler (se é que alguém iria ler), até quando vamos ter disposição para escrever, enfim, coisas desse tipo.

Passados esses 5 anos, o Caldeirão - ainda que mantendo a vibe despretensiosa do seu início - criou um certo vínculo com minha vida. Não raramente me via "tendo" que postar, "tendo" que pesquisar uma receita para fazer e postar no meu escasso tempo de descanso e que também muitas vezes até absorvia o tempo do outro trabalho, aquele que efetivamente é o responsável pelo meu sustento - sou arquiteta, para os que ainda não sabem.

Queridos leitores, confesso que por pouco, por muito pouco mesmo, não apaguei o fogo do Caldeirão de vez. Havia cansado dos rumos que os blogs de culinária tomaram, da cobrança por números, estatísticas, acessos, seguidores e outros índices que estão a anos luz da minha motivação de escrever um blog: só faço gostar de cozinhar e contar minhas histórias. Cheguei a conversar com alguns amigos blogueiros que me motivaram a continuar, a esquecer de todo o resto e fazer somente o que gosto.

O blog demanda tempo e dinheiro. Gostaria ao menos que meus custos ao fazê-lo fossem cobertos, mas nem isso esses 5 anos foram capazes de me proporcionar. Apesar da fidelidade dos meus leitores, do carinho que dispensam em me escrever contando suas experiências, o respeito com que me tratam, enfim, esses valores que para mim são tudo de mais gratificante, parece que não sensibilizam quem poderia ampliar sua visão corporativa e olhar não só os números de modo absoluto. Um leitor que me pede uma indicação é potencialmente mais importante do que os 10.000 seguidores falsos do Instagram que podem ser comprados a preços módicos, acreditem. Mas não é isso que se olha, analisar a relevância ou o envolvimento dá trabalho, ao que parece.

Foi aí que algo me fez repensar. Nunca comentei aqui que foi o Caldeirão que me ajudou em um momento de vida extremamente difícil, onde sofri muitas perdas e provações. Claro, tenho minha família e meu trabalho e todos os afazeres para colocar a vida no automático e seguir em frente, mas foi esse blog a motivação de fazer algo que era ao mesmo tempo um prazer e um compromisso, que se tornou meu esteio, meu apoio. Depois do período mais duro, fui conhecendo pessoas que se tornaram amigas de verdade, fui ampliando meu universo das panelas e acredito honestamente ganhei muito mais do que doei.

O que quero dizer é que nesse momento de crise com o blog, pude compreender que o Caldeirão é um grande amigo. Como poderia abandoná-lo, se ele foi tão importante para mim? Que espécie de amiga sou eu que queria que a amizade fosse uma moeda de troca? Exigir uma contrapartida, ou compensação de um amigo pode ser tudo, menos amizade (arrisco até dizer que só os egoístas não assumidos pensam assim). Ele, o Caldeirão, me deu muito, e eu retribui, claro, mas essas coisas não precisam ser um toma lá dá cá, um eu te dou e tu me devolves igualmente. 

Amigo de verdade é assim, pode ficar um tempo sem se afinar, sem retornar, sem comparecer. Mas o tempo e a vida vivida com tantas histórias faz valer a pena. Amizade não se mede com os valores agregados á uma escala de importância. Um único ato de um amigo naquela hora mais crucial pode fazer valer toda a amizade e sua constante dedicação. 

E é assim que eu, essa Bruxa que ora vos escreve, continuarei a ter essa relação envolvente com meu amigo Caldeirão. Até quando? Ahh, essa pergunta só os deuses podem responder...

E falando em amizade, trouxe esse bolo delicioso, fofíssimo e mágico, perfeito para quem é intolerante à glúten do blog da minha amiga Tereza, que escreve o "Teretetê na Cozinha", que mora longe e cuja amizade foi mais um dos presentes que a blogosfera me deu. 

Não deixem de provar esse bolo, foi um dos melhores que já fiz ou provei.  Recomendo muito!


Bolo de arroz cru


Bolo de arroz cru

Bolo de arroz cru
(fôrma de furo central com 20 cm de diâmetro)

receita DAQUI


Ingredientes
1 xícara (chá) de arroz cru
2 xícaras (chá) de água fervendo
1 pote (170 g) de iogurte natural - pode ser o integral ou desnatado
3/4 xícara (chá) de óleo
4 ovos em temperatura ambiente
1 e 1/2 xícara (chá) de açúcar
50 g de coco seco ralado
1 colher (sopa) de queijo parmesão ralado
1 colher (sopa) de fermento químico em pó - para bolos


Bolo de arroz cru

Preparo
Coloque o arroz em uma tigela e despeje a água fervente. Aguarde 15 minutos de molho e deixe escorrer bem em uma peneira. 
*Se quiser, pode deixar o arroz de molho em água em temperatura ambiente da noite para o dia.

Usando um liquidificador, bata o arroz escorrido com o iogurte e o óleo. Junte os ovos e o açúcar. Bata mais um pouco até homogeneizar. Adicione o coco, o queijo ralado e o fermento. Bata somente até combinar.

Despeje na fôrma untada e enfarinhada e leve para assar em forno preaquecido a 180 graus até, ao espetar um palito no meio do bolo, esse saia seco.

Dica: pode untar a fôrma e polvilhar canela ou farinha de arroz caso você seja intolerante à glúten.


Bolo de arroz cru

Aguarde amornar para desenformar. Bom apetite!



20 comentários :

  1. ler suas palavras sempre é reconfortante... parece que estamos sentadas à sua mesa tomando um chá ou café e comendo o que está a ensinar no post... Sempre tenho suas receitas como referência, e mesmo que não a tenha realizado, indico para amigos(as) na certeza de que será sucesso.
    Vi esse bolo na Teretetê e agora aqui... não vai ter jeito de escapar :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carloca, obrigada minha linda. Vc é outro presente que a blogosfera me deu. Faça o bolo, vc vai amar. Beijos

      Excluir
  2. não conhecia mas tem um aspeto muito bom, vai para a lista para fazer.


    O Cantinho dos Gulosos

    ResponderExcluir
  3. Oi, gostei muito da receita, mas, preciso substituir o iogurte. O que vc me sugere? bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maristela. Segundo a minha amiga autora do blog de onde peguei a receita, você pode substituir por leite comum. Se o seu caso for de intolerância à lactose, pode usar leite de coco, ou de amêndoas.

      Excluir
  4. Sandra, primeiro parabéns pela longeva vida do Caldeirão!!

    Acho que todas nós que estamos nessa vida de blog há alguns anos, passamos pelos momentos de crise de identidade ou de meia idade rsrsrs

    Uma frase sua me caiu: Um único ato de um amigo naquela hora mais crucial pode fazer valer toda a amizade e sua constante dedicação.

    Uma verdade, a maior recompensa pelos blogs que temos e pelos que amamos e acompanhamos. As amizades que fazemos, a troca de experiências, de carinho e afeto valem tudo, compensam todas as complicações.

    As empresas, ah essas estão bem atrasadinhas em relação ao que acontece de verdade, ainda falta melhorar muito na nossa relação blogueira-empresas, de ambos os lados, você não acha?

    Enfim, comemoremos, que o blogar seja sempre um prazer e não uma obrigação!!

    beijosssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paula, obrigada querida.
      Concordo com você. Quando falam em profissionalização de blogs, comento que meu blog é profissional na postura de comprometimento com meus leitores, apenas não sou remunerada por isso..rs. Beijos

      Excluir
  5. Sandra obrigada pela menção. O carinho é reciproco. Fiquei feliz que você também aprovou o bolinho, ele é bom mesmo.
    Esse caldeirão não pode parar que venham mais 700 comilanças. Aqui sempre a receita vem aliada a boa conversa, boas fotos e o ingrediente principal que não falta é o carinho. Curto muito suas postagens. Parabéns por chegar ate aqui, e mete lenha nessa panela que ela não pode baixar a fervura.
    Compreendo muito bem o que você escreveu, super me identifiquei, tenho passado por estes altos e baixos em continuar ou não com o blog. E esse comércio de números desestimula, mas não me rendo a eles, prefiro os números que conquistei ao longo do tempo ao me enganar que tenho milhões de seguidores.
    Hora digo que paro, hora decido continuar, mas uma coisa eu tenho certeza quero a essência dele como idealizei, que é compartilhar minhas experiências na cozinha e aprender com a de vocês, que é um aprendizado carregado de afeto que não tem preço. Mexe essa panela que quero ainda aprender muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te, você é uma querida! Obrigada pelo carinho e vamos em frente. Beijos

      Excluir
  6. É com arroz comum ou integral?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Adriana, tudo bem? Esse eu fiz com o arroz branco, mas pode usar o integral também que dá certo. Só que nesse caso sugiro que deixe de molho da noite para o dia.

      Excluir
  7. Olá Sandra!!
    Que relato mais lindo, muitas vezes as pessoas esquecem que, por trás daquele mundo de receitas, existe uma pessoa de carne e osso, com mil motivos para deixar o projeto do blog de lado. Mas aí é que vêm as surpresas da vida e te dá mil e um motivos para continuar.
    Aqui, cada receita tem vida, cada história, cada ingrediente usado, mostra todo o cuidado e amor que existe do outro lado da tela.
    Desejo mais dez mil motivos para continuar e muito, muito mais sucesso, pois você merece!
    Beijos!! =)

    ResponderExcluir
  8. Olá Andrea, muito obrigada pelo carinho. Beijos

    ResponderExcluir
  9. Querida Sandra,
    Primeiro parabéns pelo aniversário desse cantinho MARAVILHOSO!!! Desejo muito mais SUCESSO e muitos anos de vida!!!
    E esse bolo? Que diferente e LINDO!!! Não tive dúvidas, fui logo levando a receita comigo...
    Obrigada e grande beijo, Irene

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pelo aniversário do blog, Sandra! Imagino o desgaste que é tocar um projeto desses. Eu mesma desisti de ter um blog culinário justamente por medo de ficar presa nele, já que sou ligeiramente obsessiva ;-) Mas saiba que a amizade dos leitores pelo blog também é recíproca, ainda que muitas vezes não deixemos comentários. Ontem mesmo falei de você e de suas receitas vegetarianas para a minha mãe, que está enfrentando o desafio de se tornar vegetariana numa família de carnívoros. As receitas do caldeirão, além de confiáveis, vêm com um peso afetivo enorme, igual receita de família...
    Espero que você siga seu coração e que sempre sinta o retorno de toda a energia positiva que você devota ao blog.

    ResponderExcluir
  11. Sandra querida,
    O "Caldeirão" foi dos primeiros blogs que comecei a seguir e é meu companheiro até hoje. È muito bom chegar aqui, ler seu bom texto e saborear as delicias que você posta. Parabéns pelos 5 anos! Só nós, blogueiras, sabemos o quanto é duro manter um blog, o quanto ele exige de nós, mas ao mesmo tempo o quanto ele entra na nossa vida e não sai mais.
    Parabéns! Que o Caldeirão continue sempre por aqui nos "enfeitiçando".
    Bj,
    Lylia

    ResponderExcluir
  12. Fiz hoje o seu bolo.

    Contudo, advirto os leitores para untarem, mas untarem mesmo super bem a forma, pois esse bolo pega-se a ela de uma forma absolutamente incrível.

    Eu untei a minha forma que já era uma forma antiaderente e mesmo assim foi um desastre pois o bolo colou-se a ela e ficou todo desmanchado. E olhem que esperei que ele arrefecesse como diz a receita.

    Tive de o tirar com uma espátula e cortá-lo aos bocados.

    O bolo era só para mim e meu marido, mas mesmo assim gostamos sempre de ter um bolo inteiro.
    Ele é de facto delicioso, mas tem esse "defeito" o que é pena!
    Do resto como disse o bolo é mesmo bom!

    ResponderExcluir
  13. fiz o bolo e todos simplismente amaram. muito delicia essa receita. jocileide morais

    ResponderExcluir
  14. Só hoje estou conhecendo seu blog, e desde já agradeço por não ter cedido à tentação de não mais escrevê-lo! Que bom! O bolo de arroz cru é tradicional aqui em Goiás, uma das delícias do nosso café da manhã colonial. E essa receita é bem equilibrada, rende um bolo fofo e de sabor muito suave.

    ResponderExcluir

Sua visita e seu comentário são muito importantes para o Caldeirão. Comentários somente com intuito de fazer propaganda serão deletados.

Obrigada e volte sempre!