16 outubro 2018

Pãezinhos de coco #worldbreadday2018


Pãezinhos de coco


O Caldeirão existe desde antes do boom das mídias sociais. Lá nos idos de 2010, ano que comecei a aventurar-me a escrever um blog de receitas, a blogosfera fazia sua própria rede de compartilhamento, interação e engajamento. 

Assim - e como adoro fazer pães - logo que tomei conhecimento da iniciativa da Zorra do blog Kochtopf, aderi a essa postagem coletiva chamada World Bread Day que ocorre todos os anos na data de hoje, 16 de outubro, desde 2006.

Tirei o pó so blog e aqui estou para representar o Brasil, juntamente com minhas queridas amigas padeiras que conheço não só virtualmente, mas também pessoalmente. Se quiser checar outros pães que fiz em anos anteriores, é só clicar em cima do nome da receita. Tem o Pão Challah em 2012, Pão Sueco em 2013, Pão Preguiçoso em 2015, Pão Flor com Goiabada em 2016, o Pão Sírio em 2017 e esse que trago hoje.

08 agosto 2018

O bolo dos meus 55

Bolo aniversário


"Deus me livre de ser normal!" 

Começo esse post com essa frase de um dos meus gurus nessa vida, o saudoso Iogui Professor Hermógenes, para ilustrar o dia de hoje, quando completo cinco décadas e meia de vida.

Não tenho nada a contar à respeito de atos importantes que eu tenha feito em prol da humanidade como um todo. Até agora não consegui mudar o mundo - na verdade, mal consigo cuidar do meu próprio - e não estou nem perto de ter sido um ser humano que mais propiciou ao planeta do que impactou o meio ambiente ou foi capaz de diminuir sua pegada de carbono. Enfim, se fosse o caso de fechar a conta nesse momento, saio dessa vida como devedora.

31 julho 2018

Sorvete de pipoca (sem sorveteira)


Sorvete de pipoca


Meus queridos leitores, já aconteceu de vocês esquecerem do aniversário de alguém muito especial ou da data de algo que tem muita importância em suas vidas? Quem nunca, não é mesmo?

Pois eu esqueci, ou melhor, deixei passar. No último dia 16 de julho o Caldeirão completou 8 anos de existência. Um tempo considerável, mas que passou voando. Tempo suficiente para me abrir tantas portas para lugares que nunca ousei imaginar que iria, janelas de amizades com pessoas que, de longe, só guardam a distância física, caminhos que tendo uma vez percorrido, não têm mais volta. Ainda bem!

Passados esses 8 anos tornei-me uma pessoa mais aberta ao aprendizado que se requer para escrever um blog de receitas. Tenho mais certeza que muito tenho a aprender nessa maravilhosa arte de conquistar as pessoas com simples quitutes. Só sei que para encantar, tenho que ser encantada. E encanto-me sempre ao ver quanta generosidade e carinho tenho recebido. Por sorte - sim, acredito nela - aqui no Caldeirão até hoje, nesses 8 anos, só recebi pessoas de bem, que reconhecem o trabalho que há em cada postagem, que enxergam que por trás desse perfil há um ser humano de verdade e que me retribuem com mensagens tão amáveis.

Por isso, obrigada a todos que têm passado por aqui. Próximo ano, espero, trarei um bolo, na data certa.

12 julho 2018

Bolo Formigueiro


Bolo Formigueiro


Não é a primeira vez que começo uma postagem falando que comida tem moda e modismos.

Lá pelos anos 1970 - quando eu era adolescente - não haviam tantas opções de bolos na minha casa, ou melhor dizendo, não havia tanta informação trocada como hoje em dia via internet. Então, o repertório resumia-se ao "bolo de bolo" (ou bolo de nada), bolo de chocolate (que podia ter a calda espelhada ou brigadeiro), o de cenoura com a famosa calda de chocolate, o de fubá, aí incluindo também a versão cremosa e os pães de ló, que podiam levar uma casquinha azedinha de açúcar com limão.

Também faziam parte da relação os bolos invertidos: de banana, maçã ou abacaxi que, para mim, pareciam bolo de gente grande, não gostava muito não. E tinha um deles que era um super hit do momento, o Formigueiro. Lembro de não ser um bolo de toda hora na minha casa, mas, quando tinha, adorava, principalmente com cobertura de brigadeiro.