terça-feira, 18 de novembro de 2014

Pãezinhos de fubá

Pãezinhos de fubá


Se me perguntassem qual seria um desejo, ou expectativa, ou motivação para escrever e mexer o Caldeirão, seguramente diria que fazer com que as pessoas gostem de cozinhar. 

Aprender a cozinhar não é tarefa difícil, mas aprender a gostar requer determinação. Como qualquer treino ou interesse, deve-se começar com receitas simples, as quais deem resultados certeiros - isso ajuda a criar confiança. A partir daí, envolver-se e, a cada vez que a cozinha te fizer um chamado, entrar nela de coração limpo. Excesso de confiança acaba sendo uma armadilha para o cozinheiro, seja iniciante ou não. É sempre bom ficar atento e questionar tudo. Nessa hora, mesmo que você não seja tão experiente, se achar algo estranho na receita, aproveite que estamos na era da informação instantânea e pesquise. Isso vai ampliar seu repertório e testar sua intuição.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Tartar de tomates (ou seria uma saladinha?)

Tartar de tomates


Querido leitor, hoje o sabor dessa Bruxa que vos escreve está um bocadinho ácido, como os tomates. Por favor não me levem a mal, não quero de modo algum fazer julgamentos ou coisas do tipo, apenas compartilhar algumas das minhas considerações sobre modismos e tal.

Acho bem bacana quando algo se dissemina, ou populariza. Vou dar um exemplo não relacionado à culinária, só para ilustrar. Sou praticante de yoga já fazem 16 anos. Há um tempo atrás, o yoga tornou-se uma prática que se massificava rapidamente. Por um lado - o que eu defendo - é que quanto mais praticantes, maior o bem estar e o ganho em qualidade de vida para todos (falando superficialmente, existem muito mais benefícios e preceitos implícitos nessa filosofia). O porém é que alguns, para se aproveitarem da onda, ou modismo, subvertem a filosofia milenar e passam a chamar de yoga modalidades e práticas que não necessariamente fazem jus ou respeito às tradições. Claro que o mundo muda a toda hora e evidentemente torna-se necessário atualizar ou modernizar algumas coisas, mas caro leitor, qual a necessidade de se praticar yoga pelado? Pois é...

Agora entrando no tema da culinária, assunto desse blog. Gastronomia está na moda. Ótimo, a cultura de se alimentar com consciência, de buscar a melhoria e utilização de novos ingredientes e a volta do prazer de cozinhar é um movimento cultural muito importante. O que na verdade anda me incomodando deveras é essa mania de gourmetizar e dar uma pompa às coisas simples, só para agregar valor. 

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Barrinha de castanhas, frutas secas, aveia, coco e gergelim

Barrinha de castanhas, frutas secas, aveia, coco e gergelim


A história dessa receita veio de um momento "aguado" meu. Vou explicar.

Como já postei, participei de um workshop na Semana Mesa SP com o chef Gabriel Vidolin e com a banqueteira que admiro muito Neka Menna Barreto. Durante a apresentação pudemos degustar muitas gostosuras que ela havia preparado. Mas como ela mesmo disse, havia muito mais coisa à nossa espera, e ao final apareceram vários quitutes para os participantes provarem. Bem, logo meus olhos cresceram para uma super barra linda que parecia uma mandala de frutas secas, castanhas, grãos e gergelim. Cortei um naco e deleitei-me. Amei aquilo.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Mesa SP 2014 ~ Congresso Internacional de Gastronomia


Alimento é um termo amplo, digo sempre. Nas minhas considerações sobre esse pensamento, aqui no Caldeirão sempre me detive na escala do humano, o que o alimento causa nos nossos corpos, do mais denso ao mais sutil. Porém hoje vou entrar no campo trans pessoal e falar das experiências que tive a honra e o prazer de conhecer no maior evento de Gastronomia do Brasil, o Mesa SP, promovido pela Revista Prazeres da Mesa. Foram três dias de evento, de 3 a 5 de novembro, divididos entre as palestras do Mesa Tendências, as aulas e atividades "mão na massa" do Mesa Ao Vivo, as degustações do Festival Mesa na Cidade, que esse ano incluíram o Espaço Farofa, a degustação do Prêmio Queijo Brasil e a área de Food Trucks.

Poderia fazer meramente um relato de uma maneira mais jornalística, apenas narrando o trabalho e as palestras dos chefs participantes. Mas prefiro contar como esse evento causou uma transformação em mim e como identifiquei-me com o tema desse ano, "Conexão essencial: o produtor familiar e a cozinha".

Mesa SP 2014


"A maior rede social é a comida", disse o chef Alex Atala. De fato, tirando as nossas necessidades básicas e individuais - que normalmente fazemos a sós - comida é algo que nos reúne, nos motiva a compartilhar.

Como se reconhece as diversidades culturais no planeta? Poderia citar várias, e com toda certeza dentre essas a culinária de um povo conta muito de suas origens, sua localização geográfica, influências históricas, hábitos e por aí vai. Povos com invernos rigorosos tendem a se alimentar de comidas mais calóricas. Alguns, por proximidade do mar, têm na sua cozinha uma fartura de receitas com o que a natureza lhes provém com mais facilidade, os peixes e frutos do mar. Pastores, agricultores de terras não tão férteis, moradores de lugares inóspitos, cada um alimenta-se com o que suas necessidades ou possibilidades lhe promovem. Isso também é a riqueza cultural de um povo. Sim, concordo com o chef Atala, "Gastronomia é Cultura!"

Mesa SP 2014

Voltando ao tema das palestras do Mesa Tendências, cada um trouxe sua experiência direta com um pequeno produtor. A chef Roberta Sudbrack nos apresentou Fátima Anselmo, uma pequena agricultora do Sítio Verde Orgânico, com quem estabeleceu uma parceria e mais do que isso, uma relação de amizade e confiabilidade cujo comprometimento possibilitou que essa última se programasse para poder dar uma educação de qualidade para seus filhos. Não teve como não se emocionar com o respeito e carinho visíveis que uma tinha pela outra.


Mesa SP 2014

O chef Rodrigo Oliveira apresentou Patrick Assumpção, produtor da Fazenda Coruputuba e as possibilidades de utilização de vegetais ainda não tão conhecidos e que têm muitas propriedades nutricionais e variedade de sabores e aplicações.

Soledad Barruti, jornalista argentina e autora do livro "Malcomidos - Como la industria alimentaria nos está matando" (ainda sem edição brasileira) nos deu um impressionante e preocupante relato e sua visão pessimista de que se não for feito algo para parar esse processo, não teremos mais alimento no futuro.

Sua preocupação reside no fato de que as novas gerações alimentam-se principalmente de comida industrializada e processada. Infelizmente é necessário que se reveja isso à tempo, ou nossas crianças no futuro sequer saberão o que é uma fruta in natura.

Mesa SP 2014

Muito interessante também foi a palestra da chef Heloisa Bacellar e Mariano Martins, mestre de torra da Martins Café. Ao tomar as rédeas da fazenda da família de muitas gerações, Mariano cercou-se de muito conhecimento e pesquisas para elaborar um café de qualidade. Qual não foi sua surpresa, ao apresentar para a indústria cafeicultora, que seu produto era ótimo, porém "fora do padrão nacional". Não fossem alguns chefs como a Heloisa a consumirem seu produto, esse teria sido descartado por ser exatamente o que se espera de algo, bom demais. Um contra senso!

Outra palestra que também nos fez refletir foi a que o chef André Mifano e Tatiana Peebles, da Fazenda Várzea do Campo apresentaram. Produtora de café, resolveu também fazer presunto crú dos porcos criados lá no sertão de Pernambuco, tratados com respeito, banhados duas vezes ao dia, escovados e alimentados também com castanhas assadas. Porém, mesmo tendo um grande produto, não pode ser comercializado pois não conseguiria tirar o S.I.F. de acordo com as normas atuais vigentes.

Ficou por conta da dupla pai e filho, chefs Claude e Thomas Toisgrois com o produtor Márcio Ribeiro Saloca apresentarem o processo de cultivo do cogumelo shitake na serra fluminense. O nome da palestra "SHITake Happens" fez uma analogia à frase popularizada no filme Forrest Gump. Utilizando apenas cogumelo shitake em 7 diferentes pré preparos, os chefs montaram um prato extremamente criativo e apetitoso. Talento passado de geração em geração.

Mesa SP 2014

Foi muito instrutivo ver qual o processo de execução do queijo Fossa Dell' Abbondanza pelo mestre queijeiro italiano Renato Brancaleoni. Conhecer as etapas de fabricação e toda a cultura envolvida faz com que tenhamos uma outra visão do produto. 

Outra parceria divulgando um trabalho incrível veio da palestra do chef Wanderson Medeiros e José Roberto da Fonseca, diretor do Instituto Ecoengenho, ONG responsável pela capacitação técnica para a colheira da semente de Aroeira (também conhecida como pimenta rosa), propiciando às famílias de baixíssima renda do sul de Alagoas a inclusão social e condições financeiras dignas. Muito tocante ver que a comunidade, que vendia o quilo da semente por R$ 1,50, após a criação Associação Aroeira, passou a agregar valor ao produto e hoje vende o quilo a R$ 320,00. Sonhos foram realizados e hoje a comunidade consegue ter melhores condições de vida.

Uma das atrações mais aguardadas foi a palestra do G11 (Conselho Assessor Internacional do Basque Culinary Center), reperesentados no evento pelos chefs Joxe Mari Aizega, Alex AtalaFerran Adriá, Joan Roca, Yukio Hattori, Enrique Olvera, Michel Bras, Rodolfo Guzman e Gastón Acurio. Um time de estrelas da Gastronomia mundial que realmente dispensa apresentações. Senti-me nas nuvens em poder estar vivenciando tudo aquilo.

Já no Mesa Ao Vivo, só consegui participar de um workshop, mas que seguramente foi para mim o fechamento do evento com chave de ouro. A banqueteira Meka Menna Barreto e o chef Gabriel Vidolin, do restaurante Leão Vermelho, nos presentearam com degustações de chás chineses apresentadas pelo João do Chá Yê e D. Elizabeth, proprietária da Fazenda Alegria de São João da Boa Vista e seu café orgânico biodinâmico. Para mim foi uma experiência muito mais do que o visível aos olhos pois estava na presença de pessoas que acreditam nas forças da natureza, nos princípios da Antroposofia, bruxarias, observação do tempo e outras coisas que essa Bruxa que vos escreve acredita. Saí extasiada, de verdade!

Um resumo de tudo que tive a oportunidade de vivenciar (infelizmente não deu para cobrir tudo), foi que há hoje em dia uma reaproximação da cozinha com o pequeno produtor rural. Só assim podemos garantir o futuro do nosso bem mais mais importante, a Natureza, pois o respeito com que esses agricultores têm pela terra é diretamente proporcional ao que dela recebem. Somente a consciência pode trazer um futuro melhor para a humanidade. A Gastronomia, ao consumir e valorizar os que não se renderam às grandes corporações, garante a sobrevivência de todos. Não houve um chef que não fizesse reverências sinceras a quem tem o ofício e a sabedoria de trabalhar com a terra e seus produtos. 

Slow food é o caminho, do contrário, corremos o risco de nos alimentarmos apenas para manter nossas funções vitais. Alimento na esfera do coletivo promove melhores condições de vida e inclusão social. Na escala do ser humano, promove bem estar, equilíbrio e harmonia. O resto, descarte no lixo, devidamente.

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Semifreddo de chocolate branco com geleia de uva em sopinha de melão

Semifreddo de chocolate branco com geleia de uva em sopinha de melão

Achava engraçado quando via pessoas comerem algo e tentarem adivinhar como aquilo era feito. Minha mãe era uma dessas. Imaginava que era uma espécie de desafio, ou teste do seu paladar e das suas habilidades culinárias.

Pois bem, depois de ter criado o Caldeirão, também adquiri esse hábito. Muitas vezes - como a receita que trago hoje - são tentativas de aprimorar minha performance na cozinha, e não achar que estou me equiparando ou supostamente me achando à altura de quem a criou. É um aprendizado e um treino.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

3o. Encontro Gourmet - Nacional de Blogueiros de Gastronomia - parte 1

Há três anos atrás, quando três blogueiras amigas, eu, Sandra Reis, Cecília Padilha do "Yes we Cook" e Daniella Abolin, do "Cinebistrot" pensamos em reunir em um só dia e lugar amigos também blogueiros de diversas partes do Brasil, parecia um sonho e uma empreitada quase que impossível. 

De certeza havia apenas o desejo de todos se conhecerem além da tela e da interatividade virtual. Pois foi essa motivação, essa energia que nos fez batalhar para que isso saísse do plano do sonho e se tornasse realidade: nascia o Encontro Gourmet, ou o "nosso EG", como carinhosamente e devidamente muitos blogueiros queridos têm se referido à ele.

Mesmo muito inseguras da receptividade e da adesão dos Foodbloggers, encaramos o desafio e desde a 1a. edição recebemos um retorno muito além de nossas expectativas. O carinho, o calor do abraço, o compartilhamento, as brincadeiras e expectativa que antecedem o grande dia trazem um clima sempre gostoso e estimulante. Muitos aguardam ansiosamente a próxima edição já no final do evento. Afinal, estar entre amigos que gostam de comer, beber e conversar muito sobre esses temas e outros tantos é um grande prazer. Tim tim!

Esse ano o Encontro Gourmet foi realizado na Faculdade de Gastronomia "Estácio de Sá" no dia 20 de setembro. Além das atividades de aulas e degustações patrocinadas pelas Empresas apoiadoras, pudemos oferecer as oficinas interativas também conhecidas por "mão na massa". Foram horas de diversão, risos, trocas, abraços, papos gostosos e muita satisfação da nossa parte ver que temos tantas pessoas queridas no nosso segmento.

Hoje trago o filme com os principais momentos do evento. Em outra postagem, contarei com mais detalhes como foi. Divirtam-se!