sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Falso Kugelhopf

Falso Kugelhopf


Sabe aquela coisa que se compra e depois que se vai checar a origem? Pois...

Vi esse bolinho numa foto de babar no site Pinterest, minha rede social favorita. Imediatamente salvei na minha pasta de favoritos do computador, na lista que já deve contar com mais de 300 receitas "a fazer". Bem, olhei os ingredientes e tinha quase todos em casa, com exceção do iogurte. Mas aí, como tinha que sair mesmo para outras compras, a preguiça não me pegou e lá fui eu na empreitada de fazer esse bolinho, que agora já estava na minha lista mental das coisas obsessivas "se não fizer vou aguar".

Era mais ou menos umas 9 da noite e eu lá, deixando a manteiga e os ovos fora da geladeira, fazendo o mise en place, posicionando a batedeira, super motivada na empreitada dos bolinhos.

Nessa hora, meus amigos leitores, é importante dividir com vocês as minhas experiências para mostrar que quem faz o Caldeirão é a Bruxa, mas essa trabalha o dia todo, tem afazeres diversos e estava particularmente super cansada. Voltando: fiz a massa, despejei nas forminhas, e só aí me dei conta que tinha deixado de fora as nozes e gotas de chocolate. Aff, pensei, o cansaço me desconcentrou e acabou dando um trabalhinho extra. "Herrar é umano". Oops!

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Purê rústico de abóbora Cabotiá e especiarias

Purê rústico de abóbora Cabotiá e especiarias


Esse mundo anda muito louco engraçado. Estamos vivendo mais que nunca numa época que o que conta é a imagem. Não me refiro só a imagem visual, falo da imagem conceitual, o que se quer mostrar e ser reconhecido por.

Mais e mais pessoas passaram a vender felicidade, sorrisos e abraços, vidas aparentemente intertessantíssimas pelas redes sociais. Não as julgo de maneira alguma, de certa forma, mostrar esse lado é melhor do que os discursos radicais e de ódio também tão disseminados. 

Enfim, estamos falando de imagem e como esse é um blog cujo tema é comida, vamos ao que interessa. Hoje quero falar de como anda chata essa gourmetização do que comemos.

Certo, não vamos radicalizar ou generalizar. Se um chef que estudou, trabalha com isso, pesquisa muito e cria sua própria linguagem, está corretíssimo que traga todas essas referências à sua culinária. Porém, o tema dessa nossa conversa, ou melhor, desse meu desabafo, é aquela vã tentativa do cozinheiro comum de agregar valor achando que seguindo alguns modismos vai glamurizar seus pratos.

domingo, 14 de dezembro de 2014

Bolo Milagre

Bolo Milagre


"Quando nada acontece, há um milagre que não estamos vendo", disse o grande escritor João Guimarães Rosa. Permitam-me hoje queridos leitores a ousadia de divagar sobre palavras tão sábias.

Esse nada não seria a ausência de ação. Acredito que tudo sempre acontece - os eventos corriqueiros, por assim dizer - mas nada que desperte tanto a nossa atenção. Somente notamos algo passível de ser chamado milagre o que de certa forma, ao meu ver, venha precedido de uma súplica, um pedido desesperado, ou esperançoso, ou até como barganha oferecendo em troca uma promessa "meu deus, se for atendido, passarei um ano sem comer chocolate". Quem nunca?

Pois acredito que o milagre é a nossa conexão constante com as forças divinas, que nos dá a dose certa diante de cada necessidade. Se o caso é de uma doença grave e acontece uma cura, lá vem um milagre categoria 1. Mas na verdade, o que eu gostaria de conjecturar é sobre os milagrinhos que vêm em doses homeopáticas, aqueles que nem notamos e que de gotinha em gotinha são os grandes responsáveis por tudo aquilo que somos e possuímos.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Gelado de limão siciliano

Gelado de limão siciliano


Nosso Natal não tem neve, trenós, roupas pesadas e outros ícones que habitualmente vemos em imagens que vêm do Hemisfério Norte. E
m compensação temos sol quente, tempo úmido, calor e a vontade de passar a maior parte do tempo dentro d'água para nos refrescarmos. 

Que delícia poder no dia 24 de dezembro ir à praia, tomar água de coco e banho de mar para depois preparar os quitutes da Ceia de logo mais à noite. Meus natais adultos têm sido assim. Uma benção ter família que mora à beira mar, na minha cidade natal. 

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Bolo de Neve

Bolo de neve


Criança tem uma sabedoria e uma maneira de ver o mundo super peculiares e que colocam os adultos em teste a toda hora. Lembro de há muitos anos atrás nessa mesma época do ano - provavelmente porque já tinha ouvido um zum-zum dos seus amiguinhos na escola - minha filha ter me perguntado se Papai Noel existia. Bem, eu como mãe que não acha legal mentir e ao mesmo tempo não queria tirar tão cedo essa fantasia dela, respondi: "filha, se existe ou não, a mamãe não sabe dizer com certeza, mas eu acredito, e se eu acredito, então ele para mim existe!"

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Arroz frito vietnamita

Arroz frito vietnamita


A receita de hoje é um arroz chamado frito, ou o que uma mãe está tentando chegar ao que a filha pediu. Vou explicar desde o começo e dando alguns devaneios como é de costume aqui nesse Caldeirão.

Estudei Astrologia há muitos anos atrás. Não foi um simples curso, estudei por 5 anos e era muito dedicada e envolvida com o assunto. Porém fiz apenas poucas interpretações astrológicas e em geral para amigos. Pois meu afastamento desse tema ficou ainda maior quando nasceu minha filha. Olhei o mapa astral dela bem superficialmente para não me influenciar por absolutamente nada. Achei melhor e não me arrependo. Mas o fato curioso é que desde cedo noto algumas características nela que sei que vieram no seu chip e que acredito que serão determinantes para seu futuro.