sexta-feira, 25 de julho de 2014

Estrelas de biscoitos (recheados)

Biscoitos estrelas


Essa que vos escreve é uma pessoa que pensa muito. Mas se o pensamento tem um fluxo constante, a não ser como naqueles milionésimos de segundo que, em estado meditativo, conseguimos "desligar" a mente, qual pessoa que não pensa?

Quando criança tinha um pensamento quase que obsessivo. Queria saber como era o "nada", o vazio, a ausência de qualquer coisa. O máximo que conseguia abstrair era chegar a um pano de fundo todo branco, ou todo negro, mas aquilo não era o nada, tinha consciência que não era. Cresci e passou, ufa!

Já que não dá para uma pessoa comum desligar seus pensamentos, então para não ser atormentada por alguns deles, o importante é focar apenas nos pensamentos evolutivos. Não quero dizer que com isso não se deva fazer de conta que problemas ou situações difíceis não mereçam nossa atenção, mas dá para não ser escravizado por ele. Pense apenas neles quando surgirem naturalmente, não resgate se eles já se foram.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

O dia que conheci o "Cake Boss"

Cake Boss


A vida e seus mistérios. Quando poderia imaginar que, ao criar um blog de culinária - despretensiosamente como até hoje - esse  seria um passaporte para a realização de coisas que só poderiam acontecer em meus sonhos?

Pois nessa última terça feira, dia 22 de julho de 2014 foi um desses dias mágicos. A Cia.União convidou-me para a Coletiva de Imprensa do Cake Boss no Brasil, realizada na sede do Canal Discovery, em São Paulo.

Poderia reproduzir várias passagens e respostas dos momentos que tive a honra de ouvir Buddy Valastro falar. Sempre com simpatia e clareza, demonstrou-se um ser humano muito maior que sua fama ou reconhecimento profissional. Porém, o que está por trás da história de sucesso desse profissional é dedicação, empenho e ousadia.

É tocante como ele fala da família - my crazy big time family (numa tradução livre: minha família muito doida), que são parte importante dos seus programas de TV, assim como seus amigos e parentes. Nada nele soa fake, ou um personagem. Buddy é o que aparenta ser, uma pessoa que sabe reconhecer seu trabalho, curtir sua família e passa a doçura que o contato diário com o fondant da cobertura de seus bolos acaba impregnando na sua personalidade. Ou seria o contrário, quem sabe?

Perdeu o pai muito cedo e verdadeiramente emocionou-se ao falar do seu funeral. Naquela época teve que assumir a confeitaria em New Jersey que o pai de Buddy havia adquirido em 1964, e que já existia desde 1910 pelas mãos de seu antigo dono, por isso o nome Carlo's Bakery. Contou como foi sua trajetória até conseguir seu programa na TV e qual o pedido mais bizarro que já fez em sua confeitaria (o bolo dos vampiros, segundo ele).

Como boas novas teremos a abertura de sua confeitaria em São Paulo e a nova temporada do "Cake Boss" no Discovery Home & Health e TLC, todas terças feiras às 20h15 e, a partir de quinta feira dia 14 de agosto, às 21h30, estreia o programa "Bakery Boss", série que Buddy ajuda confeitarias em dificuldades a se recuperarem. Segundo ele, à respeito desse programa, é uma maneira de ajudar a comunidade confeiteira nos EUA e retribuir o quanto ele tem recebido da vida.

Buddy, você merece! 

E para a posteridade...
Cake Boss
crédito da foto: Cris Vilares


segunda-feira, 21 de julho de 2014

Panquecas sem glúten (e deliciosas!)

Panquecas sem glúten


Por falta de tempo, ou porque o tempo tem sido um ingrediente raro e difícil de achar para mexer o Caldeirão, trago aqui uns versos do grupo Pato Fu:

"Tempo, tempo mano velho, falta um tanto ainda eu sei
Pra você correr macio
(...) Tempo amigo seja legal
Conto contigo pela madrugada
Só me derrube no final"

Mas sempre é tempo, ou há tempo de fazer um agrado numa linda manhã de domingo para quem você ama. Panquecas no café da manhã tem sido quase de lei em casa. 

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Cogumelos grelhados ao molho de mostarda


Cogumelos grelhados ao molho de mostarda

Queridos leitores, por várias vezes já comentei que vou ao mercado sem nenhuma busca específica por algum ingrediente. Procuro produtos que estejam bonitos ou com preços convidativos (ou ambos).

Assim, outro dia encontrei uma bandeja de cogumelos shitake com um preço excelente e imagine só, de um tamanho que pareciam medalhões. Comprei e pensei "ah, depois eu vejo como vou preparar".

Confesso que deixei-os uns tês dias na geladeira, coitados, largados como se seu tamanho e beleza os fossem levar à sina de estragar antes que essa bruxa que vos escreve achasse uma receita à altura deles.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Geleia de morango, laranja e alecrim

Geleia de morango, laranja e alecrim


Quando era novinha as frutas tinham época. Jabuticaba dava em novembro, pelo que me lembro. Meus bolos de aniversário normalmente levavam morangos, típica fruta de agosto. E assim era o normal.

Sem querer entrar no discurso das práticas atuais da agricultura de hoje em dia ou até do desequilíbrio do planeta, fato que atualmente não é tão fácil distinguir qual a época que a Mãe Natureza designou para cada uma das suas filhinhas frutas despontarem.

Uma dica - pelo menos a que intuitivamente sigo - é a seguinte: se a fruta está barata, significa que a produção está abundante e consequentemente está na época dela. Bem, aí não só o preço passa a ser convidativo, mas a qualidade em sabor dessa fruta está no seu apogeu.

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Fuzilli "instantâneo"


Fuzilli "instantâneo"


Fico imaginando às vezes (quando sobra algum tempo mental, inclusive) como a vida parecia mais fácil para as pessoas de antigamente. Haviam menos aparatos, traquitanas e aplicativos para "facilitar" a vida dos nossos antepassados e ainda assim o tempo para eles corria diferente do que para nós.

Será que na história da humanidade houve um ponto de virada que definiu o máximo que podemos fazer e tudo o que fazemos hoje para dar conta de tudo que temos assumido?