15 setembro 2014

Minha participação no Masterchef Brasil

MasterChef Brasil



Queridos amigos, hoje tomo mais uma vez a liberdade de chamá-los assim. Pensei um tanto antes de fazer essa postagem, e confesso que só tomei a decisão de contar a minha experiência no Programa Masterchef Brasil após ter recebido esse e-mail de uma leitora querida:


"Olá Sandra! Ontem assistindo o programa da Band, tive a surpresa de sua participação! Torci para vc ser selecionada, pois acredito que vc teria muito a acrescentar ao programa... Infelizmente não foi desta vez.

Beijos, G."

Fiquei imaginando se as pessoas que me viram ali teriam a curiosidade de saber como foi para mim essa experiência, e como no Caldeirão cozinham-se não só receitas, mas também o alimento da vida, decidi por contar. Se a história ficar um pouquinho longa, perdoe-me, mas pegue um cafezinho, puxe uma cadeira e vamos prosear.

Começando "do começo". Sou uma pessoa que aprendeu a cozinhar pela vida, nunca fiz curso algum de culinária. Minha experiência tem acontecido na prática da constância do dia a dia e de olhar com interesse, curiosidade e principalmente humildade tudo o que me vem referente à esse universo tão rico e instigante chamado Gastronomia. Assim, sou uma assídua telespectadora dos programas de culinária na TV, incluindo os de competição.

Quando assistia à alguns deles, principalmente o MasterChef, ficava me colocando no lugar dos competidores, como me sairia colocada à prova em situações apresentadas no programa. Mas nem em meus maiores devaneios ou delírios imaginava ter a oportunidade de vivenciar isso um dia. Era um sonho!

Mas como todo sonho pode se tornar realidade - esqueçam o clichê e acreditem sempre nisso - um belo dia recebi via e-mail um convite de uma produtora (e já pelo nome dava para ver qual programa estavam recrutando) para me inscrever. Preenchi a ficha e mesmo não tendo feito o vídeo cozinhando, assim mesmo já marcaram meu teste no estúdio.

Já toda feliz, fiz o teste, contei sobre mim, respondi às perguntas e apresentei uma Pavlova de Chocolate com Chantilly e calda de frutas vermelhas. Adoraram, tive que fazer mais uma extra e deixar para o restante da produção provar. Saí de lá com a alma cheia, para mim ver pessoas gostando da minha comida é um prazer indescritível.

Passou-se muito tempo, abriram as inscrições por site e um belo dia, recebi novamente um e-mail com o título "MASTERCHEF BRASIL! PARABÉNS VOCÊ FOI SELECIONADO!", assim mesmo em caixa alta. Explodi de emoção e alegria, já estava oficialmente no programa, entre os 300 selecionados para a prova da colher de pau.


MasterChef Brasil
imagens a partir de frames do vídeo do programa

Nesse dia gelado, bem frio mesmo, fomos todos ao Pacaembu para fazer o teste no qual dentre os 300 participantes só 50 seriam escolhidos. Comentei com uma amiga, descendo as escadarias para nos posicionarmos nas mesas em frente ao Estádio do Pacaembu, que só o fato de estar ali aquele dia, vivenciando aquilo, já estava valendo à pena. Mesmo com  a possibilidade de não ser escolhida, para mim conhecer pessoas com quem conversei na fila, dar risadas, estar naquele clima de festa já era um sonho realizado.

Porém, fui presenteada com mais um mimo do Sr. Destino, recebi a colher de pau por um prato que até penso em compartilhar a receita aqui - quem provou, elogiou. Fiz uma Conserva de lombo de atum fresco com ervas e emulsão de manjericão acompanhado de salada de brotos, mini folhas e romãs com vinagrete de laranja e mel. Naquele momento, saí correndo em disparada para abraçar minha filha, que estava aos prantos me assistindo da plateia. Eu a estava vendo de longe, visivelmente tensa e apreensiva na torcida por mim. Era emoção demais para o coração dessa Bruxa, que só sabe fazer cozinhar e contar histórias.

Naquele mesmo dia, segunda feira, já pediram para que cada um de nós dessemos a opção de 2 pratos que iriamos cozinhar e que seria escolhido apenas um. Falei que cozinharia Paella ou Camarão ao curry e Chutney de manga. Os aprovados foram divididos em 3 turmas e o meu teste foi marcado para a quarta feira. Porém, mesmo quem iria cozinhar na quinta ou sexta teria que comparecer na quarta para fazer a gravação da entrada na Cozinha do Masterchef .

A produção falou que daria a resposta de qual receita ia ser escolhida na terça até meio dia. Já quase chegava à 13h30 quando resolvi ligar, pois ainda tinha que sair para comprar os ingredientes (fazer teste em casa nem pensar, não daria tempo). Então fui notificada que faria Camarão ao curry e Chutney de manga. Não pude imediatamente sair para comprar porque tinha um Evento à tarde. Fui comprar o camarão fresco no Mercado Municipal (se não o melhor, um dos melhores da cidade), só no fim da tarde. Cheguei em casa, limpei bem o camarão, coloquei em um pote e levei à geladeira.

No dia seguinte, na quarta, a produção nos convocou para às 11h00 para o início das gravações. Preparei minhas coisas, utensílios e ingredientes e como o camarão fresco era o item mais perecível da minha receita, coloquei-o em uma bolsa térmica com vários saquinhos de álcool gel (aqueles que usamos para bolsa de gelo, que não ficam úmidos e conservam mais a temperatura). Saí de casa um pouco antes das 10h00 da manhã, pois moro longe e não queria arriscar com o trânsito de São Paulo.

Chegando lá pediram, para os 12 participantes que iriam fazer suas receitas na quarta pós gravação da entrada, colocarem seus pertences em uma ante sala, no chão. Procurei uma pessoa da produção para dizer que tinha ingrediente perecível que precisava de geladeira mas só conseguia falar com pessoas da logística ou seguranças, não do programa propriamente. Não fiquei tão preocupada porque a quantidade de gelo daria conta por mais 1 hora ou um pouco mais.

Por volta do meio dia começamos a fazer as tomadas da entrada na cozinha. Depois disso, nos deram um período de almoço e marcaram nosso retorno para as 13h30. Meu camarão ainda estava na bolsa térmica.

Ao entrar para a gravação, alguns participantes pegaram suas coisas e conseguiram entrar com elas no estúdio. Fui também pegar as minhas e outra produtora, na minha vez e de outros entrarem, nos proibiu, mandando deixar nossos pertences lá fora. Fiquei muito tensa com isso. Começaram os testes, nos quais tínhamos 45 minutos para cozinhar lá no estúdio e 5 minutos para finalizarmos o prato na frente dos jurados. Só que entre os 45 minutos e os outros 5, havia uma espera de mais ou menos meia hora entre cada participante. TV é assim, o que se assiste é uma edição.

Já bem nervosa com isso, pois insistentemente pedia para a produção para me passarem qual seria minha ordem de entrada (não atendida, por sinal) para saber o que fazer com o camarão. Em certo momento fingi que ia ao banheiro, peguei minhas coisas, entrei no estúdio e pedi para uma produtora colocar meu pote com o camarão na geladeira (detalhe: não sabia se essa estava funcionando com temperatura adequada ou era apenas um cenário). Logo após isso houve uma pane na parte elétrica e ficamos aguardando uma equipe técnica resolver por algo em torno de 1 hora, sem luz, sem geladeira. Meu camarão, lá dentro...

Fui a penúltima participante a fazer o teste, a 11a. depois de um dia longo que havia começado nessa função. Fui começar a cozinhar por volta das 19 horas. Tirei meu camarão da geladeira e logo veio uma produtora pedindo insistentemente para fazer parte do preparo na frente dos jurados, que estavam reclamando que os competidores só estavam empratando lá dentro suas receitas.

Bom, arrisquei-me, topei o desafio (uma burrice, diga-se de passagem) e depois dos 45 minutos, mais 30 minutos com meu pré preparo aguardando no carrinho, entrei no estúdio. E todo esse tempo, o camarão fora do gelo.

Óbvio que o camarão iria cheirar, óbvio. Em um estúdio fechado, sem exaustão e com um ingrediente submetido a essas questões que relatei, não tinha como. Mas não estava estragado, não estava perigoso de provar. Eu, vegetariana, o comi e aqui estou para relatar que nem passei mal e muito menos morri (risos).

O que foi passado ali no programa, foi editado. Argumentei o que acabei de contar. Mas TV é assim, o tempo é curto e caro, e o que importa é o impacto dos fatos, não propriamente a realidade. A realidade é chata mesmo, concordo.

Quando ouvia de pessoas de TV queixarem-se da edição, achava que era "piti" de celebridade. Não é, minha gente, a edição é o que comanda o interesse nesse tipo de atração, o que aliás, não discordo. Claro que sabia que as coisas funcionam assim, por isso aqui, no meu veículo, não tão assistido como o deles, faço eu a minha edição.

Ouvir que eu deveria ter "que ter pescado o camarão quase que 2 horas antes", é motivo para riso, claro. Além de morar a 100 km do mar, entendi como que devia ter "comprado" o camarão 2 horas antes. Como argumentei que não havia tempo de ter comprado 2 horas antes porque estava lá desde as 10h30 da manhã e, naquele momento, era por volta de 19h30 (não mostrado na TV, foi cortado), ela então contra argumentou que eu deveria ter levado com gelo, o que também refutei (com os mesmos argumentos que relatei aqui, também cortados) e aí então ela falou que devia ter levado "no colo com um monte de gelo". Imagine, isso por quase 9 horas!!! Congelaria até meus braços, como iria cozinhar? (risos).

Enfim, desculpe o desabafo, não estou de modo algum me justificando. Poderia ter sido reprovada por outros motivos mais nobres, mas a ideia que fui displicente ou descuidada me incomodou deveras. Não tiro a minha culpa do ocorrido, e tampouco a transfiro para a desorganização do programa. Divido-a, assim, como quem divide a conta do restaurante. Todos os leitores que vem ao Caldeirão, amigos e familiares que bem me conhecem sabem como sou cuidadosa com frescor e higiene na cozinha. Ser associada a uma imagem contrária à isso não me fez bem, confesso.

Ainda assim, foi uma experiência válida? Foi, muito!! Também a edição não mostrou no meu relato final, mas disse que ter estado ali já era um prêmio, a realização de um sonho e que fui até longe demais nas minhas pretensões de uma pessoa que apenas ama cozinhar para pessoas queridas.

Realmente hoje consigo admitir e ser sinceramente grata ao chef que me disse que eu não tinha nível para ser Mastechef. Não tenho mesmo. Comida para mim é celebração, união, devoção e não motivo de competição. 

Para finalizar, lembro da pergunta que me fizeram no estúdio, no 1o. teste. "Você faria qualquer coisa para ser uma Masterchef?" Fui categórica: "de jeito nenhum!". Não cozinharia animais que os tivesse que matar e nem "puxaria o tapete" de nenhum competidor. Não trairia meus princípios e preceitos por um programa de TV, jamais!

Meus caros, muito obrigada por terem tido a paciência de ler a minha história. A vida é sempre mais divertida com essas experiências. 




30 comentários :

  1. Bom dia Sandra!
    Adorei o seu relato, vc é uma vencedora e o melhor super humilde e humana, parabéns!
    Sábias palavras: " Comida para mim é celebração, união, devoção e não motivo de competição."
    Parabéns, vc é uma grande cozinheira independente de ser uma Masterchef. Vc faz pratos maravilhosos é um grande exemplo pra mim.

    Bjs, sucessos sempre, fique com Deus ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada querida, nos conhecemos já há tempos para saber o que cozinhar representa de verdade para a gente. Beijos!

      Excluir
  2. Olá Sandra!
    Num mundo onde "rótulos de títulos" são mais importantes que o amor à culinária, seu texto foi um sopro de alento!
    Na minha opinião, você é e sempre será uma vencedora!
    Deixa os títulos e rótulos para quem os consideram importantes!
    Beijos e uma linda semana pra ti!! =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho, Andrea, esse retorno vale muito,mas muito mais que qualquer título. Beijos!

      Excluir
  3. Adorei Sandra e mesmo não tendo conseguido continua a nossa Sandra e de quem muito me orgulho. Uma bruxinha super inspiradora, super chef e super gente boa, beijos

    Mariana

    ResponderExcluir
  4. Oi Sandra! Já trabalhei em TV e por isso jamais teria coragem de participar de um programa assim - não acho que o que importa pra eles seja a comida ou o "chef" e sim somente o conflito e a audiência. Mesmo assim achei você elegantésima diante de todo o teatro que aconteceu. E concordo com você, todas as experiências são válidas nessa vida! Um beijo grande.

    ResponderExcluir
  5. Oi Sandra! Adorei o seu relato. Também sou "bruxinha" e entendo perfeitamente quando você fala do prazer em cozinhar para as pessoas que curtem a nossa comidinha. Gosto de assistir aos programas de culinária na TV, porque sempre há a "chance" de se aprender alguma coisa. Entretanto, se não me "apetece", descarto na hora! hahahaha Esse jeito brasileiro de deglutir os formatos de programas "enlatados", na maioria das vezes são muito indigestos, pois beiram o exagero e parecem (e são) muito artificiais. Essa resenha do camarão foi no mínimo inapropriada. Como se vai produzir um programa de culinária se não se disponibiliza a estrutura necessária para armazenar e processar os alimentos? Isso não existe! No mais, parabéns pela sua disponibilidade em compartilhar seus sentimentos . Sou sua fã! bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi Sandra. Você foi super elegante e educada em não criticar a produção do programa, e acho que eu faria o mesmo. Mas, na minha posição de seu torcedor, eu posso dar minha opinião: é claro que o programa te prejudicou. Assumimos que "é normal" a TV ser assim, "FAKE", mas é exatamente por isso que criticamos quase tudo na TV. Você realmente merecia um programa de televisão melhor!! Bjs. Glauco.

    ResponderExcluir
  7. Televisao é uma farsa! Parabens pelo relato! Sucesso

    ResponderExcluir
  8. Oi Sandra! Parabéns pela tentativa em participar do programa! Mas só posso achar que você foi mesmo é abençoada em não ter se classificado para continuar. Imagina o que todas as edições seguintes poderiam fazer com a sua imagem! Prefiro você aqui no blog conosco compartilhando verdadeiramente as suas receitas. Um beijo e não desanima não!! Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Oi Sandra
    Parabéns pela sua coragem de participar desse programa.
    Eu não teria essa coragem, não trabalho muito bem sob stress rsrs.
    Como diz acima a Cristiane Petcov: Televisão é uma farsa.
    Eles editam o programa a seu bel prazer, colocam no ar o que dá mais audiência, geralmente brigas; distorcem o que as pessoas falam etc.
    Tenho certeza que você cozinha melhor que muita gente que foi escolhida, mas o que manda é o ibope pra eles né??
    Concordo com a Oderlane: As edições do programa pode acabar com a imagem de uma pessoa, e ninguém merece isso, principalmente pessoas sérias.
    Mas parabéns pela sua participação!!
    Beijos
    Solange Lima

    ResponderExcluir
  10. Oi Sandra!! Eu também adorei o seu relato. Eu penso como você, cozinhar é motivo de celebração, união, devoção e não de competição. Muito digno você preservar seus princípios, por isso te admiro!
    Beijos!! Lia

    ResponderExcluir
  11. Oi Sandra
    Li seu relato sem precisar de paciência, estava curiosa para saber como é o programa na realidade.
    Assisti e lamentei muito a sua saída.
    Continue cozinhando tendo seus princípios como base, cozinhando pelo afeto e união.

    Beijo
    Eline
    www.melepimenta.com

    ResponderExcluir
  12. Sandra, esse tipo de competição não avalia apenas a capacidade de se cozinhar, há vários fatores envolvidos que precisam garantir o espetáculo. Isso é bom, é ruim? É show business, rs. Você é a masterchef na sua cozinha, para seus familiares e amigos, e isso é muito. Parabéns pela coragem! Fiquei toda boba de ver carinhas conhecidas na TV :) Beijo!

    ResponderExcluir
  13. San querida, muito lindo e sincero seu relato. De fato por trás das câmeras de TV, a coisa é totalmente diferente. Fiquei sabendo da desorganização e a completa falta de estrutura da produção do programa. Para ser sincera achei que esse programa deixou muito a desejar, a começar pelos jurados que na minha opinião, deveriam ter sido chefs brasileiros, com tantos profissionais excelentes que temos. Sem falar da falta de respeito com os participantes. É uma pena, pois o seu talento, conhecido e elogiado por todos nós, acabou sendo prejudicado, mas a meu ver, vc foi corajosa, integra, digna e portanto vitoriosa! Parabéns! Beijos

    ResponderExcluir
  14. Sandrinha, você deveria voltar a comer carne (Friboi, com certeza) pois tá muito zen! Bom, missão cumprida na cabeca é o que conta...bola pra frente e felicidades, dear. Magoo

    ResponderExcluir
  15. Oii Sandra, vi você no programa acompanhei tudo, e é claro que mesmo te conhecendo apenas pelo blog., e vendo seus princípios éticos tinha certeza que você em momento algum, cozinharia um produto ruim para consumo de outras pessoas.
    Mas você foi uma vitoriosa, de ter chegado até lá e passado por todas as etapas até aquele momento, grande experiência, parabeénss!!
    Você sabe que eu podia ter ficado com bronca de você um dia, por você ter me puxado a orelha ,não é!! kkkkkk, mais muito pelo contrário te agradeço, por ter me ajudado a não cometer mais erros que por ingenuidade eu havia cometido, você é um exemplo para mim.
    Obrigada!!!
    Beijinhoss
    Nane Saraiva

    ResponderExcluir
  16. Ensolarada bruxinha, desde ontem estou querendo publicar uma notinha pra vc que conheci na rede, era a Sandrix! A colher de pau é um troféu que a distinguiu dentre 300 pessoas! Isso é ser vitoriosa, portanto! Um abraço apertadinho da Ymara, Marya Marya no facebook

    ResponderExcluir
  17. Minha querida amiga de infância e adolescência...rs..Sandra Reis. Com esse excelente relato, percebo que vc não é apenas uma boa arquiteta bruxa solar da culinária, como tb leva jeito para escrever um livro... que tal? Dizem que precisamos nessa vida, fazer uma arvore, escrever um filho e plantar um livro...ah...não necessariamente nessa ordem...he..he..he...mas parabéns pela experiência e fez muito bem em falar de como funciona esses reality show e de como as pessoas são tratadas, é por ai mesmo amiga e aproveito para terminar repetindo sua celebre frase..."Não trairia meus princípios e preceitos por um programa de TV, jamais!" por Sandra Reis

    ResponderExcluir
  18. Nossa Sandra quantas emoções! Realmente foi uma grande experiência pena tantos contratempos! Fico pensando como vemos tantas coisas maquiadas e pela metade nos programas de TV. Mas parabéns pela participação o que mostra o reconhecimento do seu caldeirão!!!
    Bjs
    Mel

    ResponderExcluir
  19. Lendo teus relatos percebo o quanto o respeito devido aos participantes foi deixado de lado , quando vi tua eliminação tive um ponto de vista agora tenho outro ponto totalmente diferente , mas vc parece ser eximia no que faz , terá méritos seus , sucesso e não desista

    ResponderExcluir
  20. Olha não vi o programa - pois como acho que tudo que o Brasil compra para reproduzir o formato aqui eles dão ênfase ao sensacionalismo eu nem quis ver. Mas te falo uma coisa eles perderam uma grande cozinheira, pois o corpo cozinha e a alma tempera e só faz isso a cozinheira de essência essa como você, que sempre acordou e se preocupou com que ia colocar na mesa para a sua família que entende que sentar à mesa e dividir o alimento é ato de carinho.
    Eliana - www.feijaonoprato.com

    ResponderExcluir
  21. Sandra,
    Eu não vi o programa e nem conhecia o teu blog até hoje, mas já imaginava que essas coisas são sempre assim mesmo...
    Cozinhar é coisa que precisa de tempo e carinho. Não é em masterchef que se aprende nada disso...
    Não ligue pra nada disso.Bola pra frente e parabéns pelo blog. Eu estava mesmo atrás de umas receitas vegetarianas...
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  22. muito chato mesmo que um programa como este não respeite os participantes. Parabéns pelo relato e pelo lindo blog. Adoro tua receita de rocambole, faço sempre e é um sucesso.

    ResponderExcluir
  23. Muito esclarecedor seu relato Sandra!! mesmo assim valeu pela participação!!! bjs
    Maura

    ResponderExcluir
  24. Obrigada por compartilhar ...
    Editaram sua verdade mas não seu Dharma tão claro em suas postagens.
    Gratidão imensa !
    Ivone

    ResponderExcluir
  25. Sandra, vi vc pela primeira fez no programa, e claro que deu para ver que tem muita armação. O programa teria que ter dado condições mínimas para a confecção de um prato, já que os concorrentes têm que levar tudo até panela. Mais o que eles querem e audiência a cima de qualquer coisa. Tem gente que não sei como consegui chegar nos 300, no seu caso vc deveria ainda está- lá. Parabéns!!

    ResponderExcluir
  26. Estou encantada com você. Logo vi que aquilo ficou mal explicado. Ruim foi o cheiro de trambique no ar. Seu olhar mostrou tudo isso que você descreveu, não tenha dúvidas. Isso edição nenhuma pode cortar. Beijos!

    ResponderExcluir
  27. Oi Sandra! Só passei pra avisar que adorei seu relato, uma vergonha que o programa seja assim tão desorganizado. Força na vida, linda, você é nossa masterchef. Beijos ;)

    ResponderExcluir

Sua visita e seu comentário são muito importantes para o Caldeirão. Comentários somente com intuito de fazer propaganda serão deletados.

Obrigada e volte sempre!