26 fevereiro 2014

Pão rústico sem sova (de panela)

Pão rústico sem sova de panela

A saga do Pão, da Bruxa e seu Caldeirão.

Capítulo 1 ~ Do amor à primeira vista
Como que por encanto uma imagem destacou-se de tantas outras. A promessa e possibilidade de concretizar o feitio de um Pão de uma facilidade transparecida e de um resultado como nunca antes atingido fez a Bruxa anotar rápida e afoitamente a receita. Estava no seu jardim das delícias, um Reino conhecido por Pinterest. Nada podia com seu entusiasmo e sua determinação. Ou melhor, veremos a seguir a estória completa.

Capítulo 2 ~ Confiança excessiva ou teimosia assumida?
Essa receita era para a Bruxa uma grande mudança de paradigma e que lhe fez sair deveras de sua zona de conforto. Fermento sem ativação de açúcar ou mel e diretamente misturado ao sal, poucos ingredientes, algumas poucas etapas, um tempo de espera que em nada afetaria sua ansiedade, porém, um porém. Essa Bruxa da estória parecia muito autoconfiante por seus inúmeros pães que colecionou ao longo dos anos. Sabe-tudo, ou teimosa, resolveu subverter uma etapa muito importante que seria o pulo do gato ou o trunfo final do processo. Falhou em parte, mas falhou.

Capítulo 3 ~ A repetição de um erro
"O pior cego é o que não quer enxergar", e assim como o ditado, não convencida, caiu na mesma armadilha ou no mesmo erro. Repetiu por pura teimosia. Do alto de sua autoconfiança, extraiu uma lição "nada sabe quem tudo sabe".

Capítulo 3 ~ O desespero e a ajuda que veio em seu auxílio
Do apelo aos amigos veio a ajuda imediata. Bruxa sortuda, costuma atrair sempre almas boas em seu caminho, como flores a tornar sua jornada mais colorida e agradável.
Eis que alguns se ofereceram para emprestar-lhe o detalhe que faltava. Foi tocante esse carinho para ela. Ficou eternamente agradecida. Porém, uma outra Fadinha das mãos doces trouxe a informação que precisava.

Capítulo 4 ~ Da humildade ao sucesso
Resignada, foi pela terceira vez executar uma receita simples. Agora já tomava todos os cuidados e seguiu à risca passo a passo para nada vir a dar errado. Determinada - ou obstinada, numa avaliação mais realista - conseguiu finalmente ter seu tão sonhado Pão crocante, lindo, macio e delicioso!

Moral da História (interativo)
A - "sou brasileira e não desisto nunca"
B - quem tem amigos tem tudo nessa vida
C - não subestime a simplicidade
d - teimosia não é qualidade


~~~~~~~~~~~~
Querido leitor,

Apesar da estória longa, quero dizer-lhe com toda a sinceridade que me é habitual que esse pão é realmente simples. Você verá a receita em detalhes e concluirá o mesmo. 

Qual então foi o meu erro? Foi ter colocado a massa para crescer na panela fria e depois levado ao forno. Apesar das receitas falarem que o ideal é usar panela de ferro (e que essa precisava ser aquecida previamente), uma das receitas na qual me baseei mostrava que podia usar outro tipo de panela. Um pouco da minha insistência foi nesse sentido, de trazer uma receita a qual todas as pessoas pudessem fazer e não só as que possuíssem panelas de ferro. Usei uma panela de fundo e laterais mais robustos, mas uma de inox também dá certo. Só tome cuidado para não ter componentes que derretam dentro do forno.

No mais, esse pão é absurdamente gostoso. Parece pão profissional e sério, não precisa gastar sua energia mais que misturando a massa. O barulho da casquinha crocante sendo cortada me fez ter vontade de gravar para mostrar para vocês. Mas achei que ia ser covardia, todos iam babar na tela.

Então chega de lero lero e vamos à receita. 


Pão rústico sem sova de panela


Pão rústico sem sova de panela

Pão rústico sem sova (de panela)
receita DAQUI, DAQUI e DAQUI

Ingredientes
3 xícaras (chá) de farinha de trigo branca + o suficiente para enfarinhar 
1/4 colher (chá) de fermento biológico seco - para pães
1 e 1/4 colher (chá) de sal
1 e 1/3 xícara (chá) de água morna - confortável ao toque

Pão rústico sem sova de panela

Preparo
Coloque todos os ingredientes secos em uma vasilha grande. Acrescente a água e misture com uma colher de pau, o suficiente para deixar a massa homogênea somente. Cubra com filme plástico e deixe em lugar quente e sem vento por no mínimo 12 horas, mas não ultrapassando 24 horas.
Dica: faça à noite e coloque para crescer dentro do forno desligado.

O resultado depois do tempo de fermentação é de uma massa com bolhas na superfície com a consistência bem pegajosa (não se assuste ou desespere).

Pão rústico sem sova de panela

Coloque um pano seco e limpo sobre uma bancada. Salpique uma camada bem generosa de farinha de trigo. Despeje o pão sobre essa farinha. Essa massa, por estar bem mole, vai esparramar. Molhe as mãos ou unte com óleo para não grudar e traga as bordas da massa para o centro, como se quisesse fazer uma trouxinha. Pegue essa massa rapidamente e coloque em um recipiente (pode ser uma tigela de 30 cm de diâmetro revestida com um pano bem enfarinhado) com essa DOBRADURA voltada para BAIXO. Cubra com outro pano e deixe descansar por mais 2 horas também em lugar quente e sem vento.

Faltando 1/2 hora para o pão acabar de crescer ligue o forno a 230 graus e coloque a panela com tampa dentro dele para preaquecer. Essa panela deve ter por volta de 25 cm de diâmetro (nem muito mais nem muito menos). O material dela pode ser de ferro, inox, Tefal ou cerâmico. Cuidado somente com componentes que possam derreter, como borrachas e similares.

Usando luvas térmicas, retire a panela do forno e apoie sobre o fogão. Remova a tampa. Retire as luvas e salpique uma camada de farinha no fundo da panela. Pegue a massa do pão e despeje na panela com a DOBRADURA voltada para CIMA. Não importa como o pão cai na panela, o aspecto dele é rústico mesmo. Salpique mais uma camada fina de farinha por cima do pão. Coloque as luvas, tampe e cuidadosamente retorne a panela ao forno. Deixe assar por 30 minutos. Passado esse tempo, retire a tampa (sem extrair a panela do forno) e deixe assar por mais 15 a 30 minutos, ou até ficar com uma casquinha crocante e dourada e ao bater com o dedo na superfície do pão saia um som oco.

Retire do forno e da panela. Delicie-se!

O pão pode ser reaquecido para voltar a ficar crocante. Não deixe de fazer.

Nota: não consegui tirar a foto fazendo a dobradura da massa pois estava sozinha e não consegui fazer as duas coisas ao mesmo tempo.

11 comentários :

  1. uau! que post!!!! fiquei morrendo de vontade de experimentar, mas a minha panela de inox tem tampa (temperada) de vidro, será que rola?
    amo fazer pães, e essa técnica me deixou curiosíssimaaa!
    ficou lindo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Carlinha, esqueci de colocar, mas minha panela também tem tampa de vidro. Faça porque é fantástico mesmo. Parece pão profissional, sem contar que é muito barato. Beijão querida

    ResponderExcluir
  3. Eu já conhecia a receita, teve uma época que fiquei tentada a fazer, só que acabei esquecendo, agora veio a tona a vontade, mas vou dizer necessidade por eu ser muito curiosa, sinto falta da crocancia nas cascas de pães que faço, esse voce me levou a crer que vou sentir o croc croc....

    ResponderExcluir
  4. As receitas simples são sempre um sucesso.
    Já cozi numa panela,usei de barro e aqueci antes de por o pão..
    Fica um pão muito saboroso.
    O seu ficou lindo e certamente uma delicia.
    bj

    ResponderExcluir
  5. Meu Deeeeeus você acabou de se tornar a minha bruxa predileta! =)
    Adorei a receita. Farei com certeza.

    bejinhos

    ResponderExcluir
  6. Primeiramente gostaria de parabenizar pela receita. O pão ficou tão bom que eu fiquei com pena de comê-los de tão bonito que ficou. Acabei matando a saudade de um excelente pão. Parabéns pelo site e que suas receitas sejam sempre, antes de mais nada, agregadoras. Um grande abraço Milton - Espanha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo retorno e comentário, Milton! Abraços

      Excluir
  7. Sandra,
    testei e ficou maravilhoso! Mas como não posso comer pães apenas com farinha branca, tudo tem que ter muita fibra, gostaria que me desse alguma dica, pois fiquei receosa de mexer na receita depois de seu relato.
    Será que poderia adicionar farinha integral, grãos e sementes? Agradeço sua orientação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria do Socorro, tudo bem?

      Eu li outros comentários seus e vou responder aqui e por lá, tá?
      Sabe que cozinha é um laboratório de testes, certo? Eu ainda não assei aquelas receitas que você comentou usando esse processo. Porém, já vi pães com farinhas integrais e grãos serem assados na panela de ferro.
      O que eu sugiro é você usar essa receita aqui (onde tem bastante líquido) e substituir a farinha branca pela integral + os grãos, respeitando a quantidade total.
      A farinha branca é mais elástica e deixa o pão mais "furadinho", mas o sabor da farinha integral é muito mais gostoso. Apesar de não ter restrições, eu particularmente gosto mais.

      Espero ter te ajudado. Obrigada pelo comentário.
      Abraços!

      Excluir
  8. Oi Sandra, agradeço por suas informações. Fiz o teste usando metade farinha branca e metade integral (Jasmine). Deixei fermentar por 14 horas e apesar de a massa não ter fermentado tão bem como primeira vez, levei para assar na panela. O pão ficou bom, gostos, só não tinha tantos furinhos não como o pão branco, mas pão com farinha integral é pesado mesmo. Creio que mais líquido e/ou aumentar o tempo de fermentação deve ajudar na próxima tentativa. Só não quero é aumentar a quantidade de fermento, pois estou praticamente abolindo tudo industrializado. Grande abraço e que seja sempre iluminada.

    ResponderExcluir

Sua visita e seu comentário são muito importantes para o Caldeirão. Comentários somente com intuito de fazer propaganda serão deletados.

Obrigada e volte sempre!