07 fevereiro 2014

Quiche de Catupiry da tia Carmem


Quiche de Catupiry

Existem coisas curiosas que se criam e evoluem junto com um blog de culinária. Não vou enumerar todas as que me vierem à cabeça para não perder o foco do assunto que quero abordar, mas posso falar algumas delas sem me estender muito: 1) olhar atento para tudo que possa virar uma postagem ou receita 2) paladar seletivo, o comer por comer já não tem graça 3) busca por novidades relacionadas ao mundo foodie e afins 4) avidez por livros, revistas e programas culinários e por aí vai.

Porém hoje venho falar de um dilema que acredito que acometa a muitos de nós foodbloggers. Bem, partir do pressuposto que todos cozinhem bem não significa necessariamente que já saibamos blogar bem. Tudo se aprende nessa vida quando se quer e se tem empenho e vontade. Blogar inclusive.

Quantos de nós já começamos fazendo fotos bacanas de nossos pratos? Bem, vou até reformular o questionamento. Qual blogueiro que passado um tempo de atividade do seu blog está plenamente satisfeito com as primeiras fotos das receitas ou até com os primeiros posts? Olha, arriscaria a dizer que no meio com o qual me relaciono, não saberia dizer nenhum.

Posso inclusive arriscar-me nessa afirmação porque acredito que aprendemos a ser mais criteriosos e caprichamos mais nas nossas produções, na apresentação do pratos ou até na foto propriamente dita. 

Mas o meu dilema nem é esse. Seguinte: o que fazer com aquelas postagens do início do blog, com aquelas receitas boas mascaradas por fotos ruins?

Tem uma corrente de blogueiros que diz que é importante manter essas postagens no blog para justamente mostrar a evolução do mesmo. Há uma outra que fala que muitos dos nossos leitores chegam aos nossos blogs via mecanismos de busca (Google e alguns outros). Aí encontram justamente aquela receita com a foto feia e desistem de navegar pelo restante do blog. Nem sequer viram que estamos nos esforçando em melhorar.

Para complicar, acabo concordando com ambos os argumentos. Mas então, como proceder? 

Bem, em algumas postagens já substitui fotos antigas e ruins por novas e mais atraentes, mas essa opção pode virar uma tarefa sem fim. É muito provável que daqui a 6 meses posso concluir que a foto que gostei hoje não é a melhor que eu queria ter tirado daquele prato. Não dá para fazer isso o tempo todo com mais de 600 receitas - e claro que esse número ampliando a cada dia. Seria um trabalho insano.

Com outras postagens fiz o contrário. Mantive o post original e fiz outro da mesma receita com outras fotos. Fica até interessante a comparação para quem estiver interessado em avaliar.

Portanto, caro leitor, hoje trago novamente uma receita muito boa que veio da minha tia avó que completou 90 anos no ano passado (muito bem vividos por sinal) e que já está aqui no Caldeirão, bem lá no fundinho. 

Acho que elas merecem muito essa homenagem - receita e tia - tanto quanto meus queridos leitores, esse empenho em melhorar o post original. Confesso que as fotos ainda não estão a meu contento, porque fiz essa quiche para receber uma sobrinha querida para o jantar e tirei as fotos às pressas. Mas ainda assim estão melhores que as anteriores.

Pra finalizar, essa receita é super recomendável. Não deixe de provar.



Quiche de Catupiry


Quiche de Catupiry

Quiche de Catupiry
(fôrma com aro removível com 23 cm de diâmetro)

Ingredientes
>massa
3/4 xícara (chá) de farinha de trigo
3/4 xícara (chá) de amido de milho
100 g de manteiga sem sal em temperatura ambiente
2 gemas
1 pitada de sal
>recheio
1 embalagem sachê (250 g) de Catupiry 
3/4 xícara (chá) de leite
1 embalagem (200 g) de creme de leite - o de caixinha
salsinha e cebolinha picadas
queijo parmesão ralado para salpicar

Quiche de Catupiry

Preparo
>massa
Em uma tigela junte todos os ingredientes e trabalhe com as mãos até obter uma massa homogênea. Faça uma bola e deixe descansando por uns 30 minutos. Forre a base e laterais da fôrma com essa massa. Reserve.

>recheio
Leve o Catupiry e o leite em uma panela ao fogo, mexendo até dissolver e engrossar um pouco. Aguarde amornar e acrescente o creme de leite. Mexa e junte a salsinha com a cebolinha picadas. Despeje sobre fôrma forrada com a massa (crua) e salpique queijo ralado por toda a superfície.

Leve para assar em forno preaquecido a 200 graus até notar que as bordas e superfície ficam douradas e o recheio fica cremoso e não líquido.

Cuidadosamente retire o aro da fôrma e sirva a seguir. Se sobrar pode aquecer no microondas. Bom apetite!

6 comentários :

  1. Me encaixo perfeitamente com esse relato, continuo ainda sem ser uma boa fotografa, sou muito apressadinha, acho que se eu fizesse as coisas com mais calma teria um resultado melhor, mas com certeza as minhas primeiras postagens realmente a qualidade fica ainda muito mais a desejar... tenho refeito varias postagens. Agora essa receita sua voce tem 1001 motivos de querer refazer, não pela fotografia mas pelo afeto que ela carrega.

    ResponderExcluir
  2. Eu também me enquadro nesse post, mas confesso que se refis duas ou três fotos foi muito.
    São tantas que desisti de fazer só isso, mas quando repito a receita menciono no blog e troco aquela feinha também ...rs!
    Essa quiche deve ficar deliciosa, comi com os olhos!
    Bjuss!!!

    ResponderExcluir
  3. Hummmmm.... Amo quiche e sou louca por catupiry!!!! É claro que vou testar essa receita no fim de semana.

    ResponderExcluir
  4. concordo com o que disse quanto as fotos do começo do blog... às vezes começo a ver (não só as fotos, como os próprios textos) e penso: meu deus, preciso tirar isso daqui!
    (principalmente se falando dos textos kkkkkk)
    Mas enfim, é legal voltar lá nos primórdios e ver essa tal evolução, mas fico nesse impasse também....
    Sobre a quiche, sem comentários. CATUPIRY, já disse tudo. kkkkkkkkkkkkkkkkk
    Amei amei, quero testar!
    Beijão, Sandroca querida!

    ResponderExcluir

Sua visita e seu comentário são muito importantes para o Caldeirão. Comentários somente com intuito de fazer propaganda serão deletados.

Obrigada e volte sempre!